Make your own free website on Tripod.com
FIFA World Cup
As maiores "Zebras" da história das Copas do Mundo
Home
Contatos e Links
A Seleção Brasileira
FIFA - A Entidade Máxima do Futebol
As Copas do Mundo
A História das Copas do Mundo
Recordes e Curiosidades do Mundo do Futebol
Ranking Oficial da Copa do Mundo da FIFA 1930-2014
As Taças Mais Cobiçadas do Mundo
Melhor Jogador do Mundo da FIFA
Melhor Jogadora do Mundo da FIFA
As Musas do Futebol
Outras Competições Internacionais
Os Maiores e Melhores Estádios do Mundo

1930
 
A terceira colocação da seleção dos Estados Unidos foi uma grande "zebra" na Copa de 1930. Os americanos ficaram à frente de seleções mais fortes como França, Bélgica e Iugoslávia.
 
1938
 
A eliminação da Romênia diante de Cuba foi uma "zebra" e tanto. No primeiro jogo empate em 3 a 3 e dois dias depois no desempate 2 a 1 para a equipe cubana.
 
A eliminação da Alemanha nazista diante da Suíça, apesar de muito comemorada foi uma grande surpresa, afinal, a Alemanha que anexara a Áustria meses antes fez a partida de desempate com vários jogadores da fortíssima seleção austríaca.
 
A terceira colocação do Brasil também foi surpreendente. O Brasil depois de duas Copas fracas em 1930 e 1934, era considerado mero coadjuvante. Os brasileiros bateram poloneses e tchecos e só pararam diante da poderosa Itália.
 
1950
 
O empate entre Suíços e Brasileiros foi uma "zebra", afinal a seleção disputava a Copa em casa.
 
A derrota da Inglaterra frente aos Estados Unidos por 1 a 0 em Belo Horizonte é considerada não só uma grande "zebra" de 1950, mas, uma das maiores das Copas. Afinal a Inglaterra tinha um time muitíssimo forte e os americanos vieram com uma seleção de amadores.
 
A vitória do Uruguai sobre o Brasil no Maracanã também foi, além de a mais dolorosa derrota brasileira, ujma das maiores "zebras" das Copas. O Brasil tinha atropelado Suécia (7 a 1) e Espanha (6 a 1) na fase final e precisava só de um empate pra ser campeão, mas, perdeu o jogo e a Copa de 1950.
 
1954
 
Duas vitórias da Alemanha Ocidental estão entre as grande "zebras" das Copas. Primeiro a acachapante vitória de 6 a 1 frente ao fortíssimo time austríaco. Vale lembrar que a Alemanha estava destruída e dividida pela II Guerra Mundial. Outra surpresa foi a vitória frente ao poderoso escrete húngaro de Puskás. Na primeira fase a Hungria havia batido os alemães por sonoros 8 a 3 e eram favoritos ao título, estando invictos há 38 jogos. A Hungria chegou a fazer 2 a 0, tomou a virada por 3 a 2 e perdeu o título de 1954.
 
1958
 
A Tchecoslováquia proporcionou uma doce "zebra" em 1958. Bateu a Argentina por 6 a 1.
 
A eliminação dos Tchecos no jogo desempate para a Irlanda do Norte que estreava em Copas foi uma grande surpresa.
 
Outra "zebra" britânica foi País de Gales. Os Galeses eliminaram os húngaros da Copa e endureceram muito o jogo contra o Brasil de Pelé e Garrincha.
 
1962
 
Apesar de jogar em casa, os Chilenos não esperavam passar da primeira fase, passaram e só caíram diante do Brasil. Nesse meio tempo eliminaram os italianos, vencendo por 2 a 0.
 
Outra "zebra" em terras Chilenas foi a eliminação da Espanha reforçada pelos naturalizados Puskás e Di Stéfano (que não jogou por estar contundido).
 
Depois de serem derrotados pela Alemanha Ocidental em 1954 e 1958, os iugoslavos deram o troco, eliminando os alemães da Copa.
 
1966
 
As vitórias da estreante Seleção Portuguesa sobre a forte Hungria vice em 1954 e sobre o Brasil que era o atual bicampeão mundial foram "Zebras" de um tamanho médio.
 
A eliminação do Brasil, que era o vencedor das duas últimas Copas do Mundo, na primeira fase com duas derrotas foi uma enorme "Zebra"!
 
A vitória da desconhecida Coréia do Norte sobre a Itália, que classificou os asiáticos e eliminou a Azzurra do torneio foi uma das maiores "zebras" da história dos mundiais.
 
1970
 
Dois empates da fraca seleção de Israel frente à Suécia e à Itália foram duas grandes surpresas de 1970.
 
1974
 
No clássico histórico entre as duas Alemanhas, Jürgen Sparwasser marcou o gol que decretou a grande "zebra" na derrota dos donos da casa, a Alemanha Ocidental para os vizinhos da Alemanha Oriental por 1 a 0.
 
Outra "zebra" foi o empate da pragmática Seleção Brasileira de Zagallo com a Escócia em 0 a 0.
 
Não foi exatamente uma derrota, mas Dino Zoff, goleiro invicto da Itália e recordista mundial tomar um gol do Haitiano Mano Sanon foi uma grande "zebra".
 
Na final, mesmo em casa, a vitória de virada da Alemanha Ocidental sobre a poderosa e favoritíssima Holanda é considerada uma "zebra" de proporções titânicas!
 
1978
 
A derrota da Argentina dona da casa frente à Itália em Buenos Aires é uma pequena, porém notável "zebra".
 
A vitória da estreante Tunísia sobre o México também foi uma pequena surpresa.
 
A vitória da Escócia sobre a poderosa Holanda foi uma enorme "zebra".
 
A vitória da Argentina sobre o Peru foi uma "zebra" não pela vitória em si, mas pelo placar de 6 a 0 e pelas circunstâncias em que ocorreram o jogo, com o Brasil tendo seu horário mudado para jogar bem antes e a Argentina saber o que tinha de fazer para chegar à final, e pelo jogo horrível e ridículo feito pelos peruanos que gerou boatos de que haviam sido subornados pela seleção de Menotti. A propósito outro fato que fortalece essa suspeita é o goleiro Quiroga que era naturalizado peruano, mas nascera na Argentina!
 
1982
 
A primeira grande "zebra" de 1982 foi a Itália, que depois de se classificar com três empates em três jogos, bateu argentinos, brasileiros, poloneses e alemães.
 
Aliás a derrota da poderosa Seleção Brasileira, que vencera todos os seus quatro jogos até ali, sendo dois por goleada (4 a 1 na Escócia e 4 a 0 na Nova Zelândia), para a Itália no Estádio Sarriá de Barcelona, decretando a eliminação da melhor Seleção Brasileira desde a equipe de 1970 foi uma daquelas "zebras" do tamanho do Godzilla.
 
Numa Copa cheia de "zebras", outra que chamou a atenção foi a derrota da Alemanha Ocidental para a Argélia por 2 a 1.
 
Outra surpresa foi a derrota da Argentina, campeã mundial, de Maradona para a Bélgica por 1 a 0.
 
Mais uma, o empate da Espanha contra Honduras, em Valencia, por 1 a 1.
 
Aliás não foi a única da Espanha em Valencia. A derrota para a Irlanda do Norte por 1 a 0 também foi uma enorme "zebra".
 
1986
 
O empate da defensora do título, a Itália, frente à Bulgária por 1 a 1 foi a primeira "zebra" do Mundial do México 86.
 
A Dinamarca protagonizou três zebras no mesmo mundial: a goleada sobra o Uruguai por 6 a 1, a vitória sobre a Alemanha Ocidental por 2 a 0 e por causa disso chegando às Oitavas de Final como favoritíssima, a derrota frente à Espanha por 5 a 1.
 
A vitória da fraca seleção de Portugal sobre a Inglaterra por 1 a 0, foi uma "zebra".
 
A vitória sobre Portugal por 3 a 1, os empates em 0 a 0 com a Polônia e a Inglaterra e a classificação de Marrocos às Oitavas de Final foram três belas "zebras" de 1986.
 
O terceiro lugar da Bélgica, passando por México, Paraguai, União Soviética e Espanha foi uma "zebra" comemorada em 1986.
 
1990
 
Na Copa da Itália, a primeira "zebra" foi em Milão, vitória de Camarões sobre a Argentina por 1 a 0.
 
Depois de duas vitórias sobre a Argentina (1 a 0) e sobre a Romênia (2 a 1), Camarões chegava ao terceiro jogo contra uma União Soviética que fazia uma campanha pífia, com duas derrotas por 2 a 0 frente às mesmas Argentina e Romênia. Foi aí que veio a "zebrinha": Vitória soviética por 4 a 0.
 
A ótima campanha da Costa Rica vencendo Escócia (1 a 0) e Suécia (2 a 1), e perdendo para o Brasil por apenas 1 a 0, foi uma "zebra" do grupo do Brasil. Por outro lado, a péssima campanha da Suécia neste grupo, com três derrotas por 2 a 1 foi a outra.
 
O empate da Colômbia contra a Alemanha Ocidental em 1 a 1 foi uma "zebra" já que os alemães vinham de duas goleadas, 5 a 1 contra Emirados Árabes Unidos e 4 a 1 contra a Iugoslávia.
 
A vitória da Irlanda sobre a Romênia nas Oitavas de Final, mesmo que nos pênaltis foi realmente surpreendente.
 
A eliminação da Espanha na derrota por 2 a 1 para a Iugoslávia também.
 
A eliminação do Brasil que vinha de três vitórias para a medíocre Argentina que penara para passar da primeira fase por 1 a 0 foi outra grande "zebra".
 
A grande campanha camaronesa, que parou nas Quartas de Final perdendo para a Inglaterra por 3 a 2, foi outra "zebra". Em tempo, Camarões se classificou num grupo que tinha a Argentina que defendia o título, a forte Romênia e a União Soviética campeã olímpica em 1988, depois bateu a Colômbia e aí parou na Inglaterra.
 
A derrota da invicta Itália, do invicto Walter Zenga, para a Argentina nas semifinais, encerrou o ciclo das "zebras" em 1990.
 
1994
 
A vitória da enfraquecida Rússia por 6 a 1 sobre Camarões e os cinco gols de Oleg Salenko naquele jogo, que somado com o gol dele sobra a Suécia, lhe daria a artilharia do torneio com 6 gols, foram duas "zebras" de uma tacada só!
 
A derrota da Argentina, abalada pelo doping de Maradona, para a Bulgária por 2 a 0 foi outra surpresa, aliás, o quarto lugar dos Búlgaros, que venceram Argentina, Alemanha e México foi outra "zebra" do Mundial de 1994.
 
Outra "zebra" foi a vitória da Irlanda sobre a Itália por 1 a 0.
 
A derrota do forte México para a Noruega por 1 a 0, também foi "zebra".
 
A vitória da Bélgica por 1 a 0 sobre a Holanda e a derrota desta mesma seleção belga para a Arábia Saudita pelo mesmo placar foram duas grandes "Zebras".
 
A derrota da favorita Seleção Brasileira para os Noruegueses por 2 a 1 foi mais uma "zebra" de 1998.
 
A eliminação precoce dos espanhóis, mesmo depois de bater os búlgaros por 6 a 1 foi uma grande surpresa do Mundial de 1998.
 
A vitória da Romênia sobra a Inglaterra por 2 a 1 foi uma surpresa também, e depois o empate dos romenos contra a Tunísia em 1 a 1 foi outra.
 
A goleada da Dinamarca frente à Nigéria por 4 a 1, outra "zebra" deste Mundial cheio de surpresas.
 
A Croácia foi uma grata surpresa do mundial, após eliminar Romenos e Alemães, perdeu para a França, mas venceu a Holanda e ficou com o terceiro lugar.
 
2002
 
A primeira "zebra" da Copa foi a FIFA aceitar dividí-la entre a Coréia do Sul e o Japão.
 
A primeira grande "zebra" da competição em si... Senegal vencendo a França por 1 a 0
 
A queda logo na primeira fase de um grupo de favoritos como Portugal, França (defendendo o título e não marcando nenhum gol), Argentina, Nigéria e Uruguai. A chegada de Turquia e Coréia do Sul às semifinais e a final feita entre a criticadíssima Seleção Brasileira (vencendo as 7 partidas) e da não menos desconfiável Alemanha, além da chegada da Seleção dos Estados Unidos às quartas de final... muitas "zebras" num único mundial.
 
A vitória do Equador sobre a Croácia... grande "zebra"!
 
Vitória dos Estados Unidos sobre o México, mais uma "zebra"...
 
Se em 1966 a Coréia do Norte eliminou a Itália, em 2002 foi a vez da vizinha Coréia do Sul... uma grande surpresa...
 
Os Senegaleses eliminando a Suécia também foi surpreendente.
 
2006
 
A eliminação precoce da Polônia que batera os ingleses nas eliminatórias foi uma grande "zebra"!
 
O empate entre Suécia e Trinidad & Tobago é mais uma "zebra".
 
O grande fracasso da Sérvia & Montenegro, herdeira da Iugoslávia também surpreendeu.
 
O empate entre Angola e México em 0 a 0 foi uma "zebra" categórica.
 
A classificação da Austrália sobre a Croácia e o Japão foi uma grata surpresa!
 
O empates da Coréia do Sul e da Suíça em 0 a 0 contra a França foram aplaudidas surpresas e assustaram muito os franceses que viam o replay da Copa de 2002.
 
A eliminação da Suíça invicta diante da Ucrânia foi uma grande "zebra" !
 
2010
 
A primeira copa da África foi recheada de zebras... começando com as duas finalistas do torneio de 2006, a campeã Itália e a vice França caindo na primeira fase sem vencer ninguém.
 
A vitória da África do Sul sobre a França por 2 a 1 foi uma grande zebra!
 
Outra zebra categórica foi a vitória de virada da Grécia sobre a Nigéria por 2 a 1.
 
Os empates da Inglaterra frente a Estados Unidos (1 a 1) e Argélia (0 a 0) também foram grandes surpresas.
 
A Sérvia protagonizou duas grandes zebras: venceu a Alemanha (1 a 0) e perdeu para a Austrália (2 a 1).
 
A classificação do Japão, que era considerada uma equipe decadente foi outra grande zebra, mesmo porque os japoneses eliminaram Camarões e Dinamarca.
 
A Nova Zelândia, com seu time semi-profissional foi o único time que saiu da Copa invicto. Foram 3 empates frente a Itália, Eslováquia e Paraguai. Grande Zebra!
 
A vitória eslovaca sobre os Italianos por 3 a 2 foi mais uma zebra enorme.
 
A vitória da Suíça sobre a Espanha por 1 a 0, foi zebra grande também!
 
E a mesma Suíça empatar com Honduras em 0 a 0 também.
 
As campanhas de Estados Unidos e Eslováquia (caindo nas oitavas de final), Gana, Paraguai (nas quartas), Uruguai (nas semifinais), Holanda (vice-campeã) e Espanha (campeã) foram boas surpresas deste mundial.
 
As derrotas da Inglaterra nas oitavas e da Argentina nas quartas foram zebras não por perderem para Alemanha, mas pelos placares das partidas (4 a 1 e 4 a 0 respectivamente). 

volta à página inicial